Quer aderir ao nosso Grupo Fechado no Facebook? Clique aqui!

- Duelo de nomes -
Inês vs Joana

19.9.14


Inês Joana são dois dos nomes mais usados nas meninas portuguesas nos últimos quarenta anos mas continuam tão atuais que parece difícil de acreditar que até já se usavam nos tempo das Infantas
Joana conseguiu a proeza de ficar na segunda posição dos nomes mais registados em meninas, em Portugal, entre 1990 e 1994, só perdendo nessa altura para Ana [que, por sinal, só viria a abandonar a primeira posição em 2005]; hoje está na 12.ª posição, mas o número total de registos desde 1990 até hoje é de 49.857! Absolutamente brutal!
Inês, por outro lado, teve o seu melhor resultado entre 1998 e 2000, quando ocupou a 3.ª posição do mesmo ranking, estando hoje na 8.ª posição. E, surpresa das surpresas, ultrapassa Joana no número total de registos entre 1990 e 2013 - sim, são 51.561! 

Qual destes dois nomes gostam mais? Não se esqueçam de votar! 


Pares Perfeitos
Júlia &...

18.9.14


Nos últimos quinze anos, foram registadas mais de 2 mil meninas com o nome Júlia em Portugal. O valor não é muito elevado face aos nomes que ocupam os primeiros lugares do ranking, mas parece-me bastante significativo. Por sugestão da Maria Pilar, hoje vou abordar os nomes que me parecem conjugar perfeitamente com Júlia.
Se o quisermos agrupar com um nome que tenha popularidade semelhante nos dias de hoje, as sugestões mais óbvias parecem ser os clássicos internacionais Laura, Alice, Camila Victória. Continuando com o mesmo critério, sugiro os masculinos Tomás, Henrique, Vicente e Matias

Se, por outro lado, olharmos preferirmos agrupar Júlia a outro nome de origem latina, as opções podem passar por Antónia, Augusta, Fábia, Fabíola, Flávia, Flora, Lívia, Lavínia, Lúcia, Marcela, Máxima ou Sabina e, no caso masculino, Caio, César, Fausto, Inácio, Lúcio, Marcelo, Mário, Octávio, Tito ou Victor.

Por fim, podemos optar por recuar até ao início do século XX, outra altura em que Júlia era popular e, dessa forma, faria sentido ponderar nomes como Amélia, Emília, Glória, Olívia ou Rosa. Para os meninos, Eduardo, Luís ou Artur. 

Quais seriam os vossos critérios e consequentes sugestões? 

Rui

16.9.14


No ano 2000, Rodrigo e Rui faziam parte do lote de vinte nomes masculinos mais registados em Portugal e, de forma um pouco surpreendente, separavam-nos, apenas, uns meros 87 registos. Rui ocupava a 16.ª posição e Rodrigo a 18.ª. Todos sabemos que hoje Rodrigo é popularíssimo [nos últimos 23 anos foi o único nome capaz de retirar João do 1.º lugar do ranking] e Rui tem estado em declínio, ocupando atualmente a 48.ª posição, depois de quase três décadas de grande popularidade. 
O motivo por que os comparo é de fácil explicação: Rui é o hipocorístico de Rodrigo e, como tal, estão intrinsecamente relacionados, significando governante ilustre
Conhecendo cada vez melhor as práticas de nomeação em Portugal, poderemos arriscar dizer que, dentro de alguns anos, a inversão ocorrerá uma vez mais, até porque não acredito que Rui vá cair em desuso. Para mim, é um nome muito interessante e apesar de entender os motivos que o tornam Rodrigo tão apelativo, este não faz parte da minha lista de nomes preferidos e se hoje tivesse de escolher entre estes dois, optaria por Rui. E até vou mais além: acho que Rui combina muito bem com vários nomes femininos usados atualmente. Sei que pode ser visto como demasiado colado aos anos 70 e 80 mas poderíamos dizer o mesmo de Pedro e Miguel e não é por isso que não continuam atuais. Acho que há nomes que merecem ver o seu uso prolongado no tempo e creio que é o caso de Rui.  Definitivamente, é mais um da minha lista de nomes clássicos contemporâneos. 


Evolução do uso dos nomes Rui e Rodrigo em Portugal




Nomes masculinos que deixaram de ser populares
em Portugal nos últimos anos

11.9.14



Ontem vimos as entradas na lista de nomes masculinos mais populares em Portugal desde 1990 e hoje vamos conhecer os nomes que deixaram de se usar com a mesma frequência e que, por isso, estão fora do top 100 atual. 

  • Adriano [1990-2003; 2005-2008]
  • Alberto [1993]
  • Alexis [1994-1999]
  • Anthony [1990-2002]
  • Armando [1993]
  • Celso [1991]
  • Chi [1996-1999]
  • Chon [1997; 1999]
  • Christophe [1990-1995]
  • Christopher [1990-1993]
  • Dany [1995-2001]
  • Dário [1991; 1992; 2012]
  • Davide [1990-1996]
  • Dylan [1994-2007]
  • Eric [1992; 2005; 2007; 2009; 2010]
  • Flávio [1990-2001]
  • Gilberto [1991]
  • Helder [1990-1998; 2000]
  • Hélder [1990-2012]
  • Hélio [1990]
  • Ismael [2008]
  • Jason [1994]
  • Jonathan [1990-1997]
  • Jordan [1993]
  • Julien [1990-1996]
  • Júlio [1991-2006; 2009]
  • Ka [1997]
  • Kévin [1990-1996]
  • Leonel [1990; 1999; 2001-2003]
  • Luciano [2007]
  • Marcelo [1990-2006; 2008; 2009]
  • Martin [2008]
  • Martinho [2011]
  • Matheus [2009-2011]
  • Michael [1990-2001]
  • Mickael [1990-1995; 2007]
  • Mickaël [1990]
  • Nicolas [1990-2002]
  • Patrick [1990-2002; 2004]
  • Philippe [1992]
  • Raúl [2002-2012]
  • Roberto [1990-2006]
  • Rodolfo [1994]
  • Rogério [1991; 1995]
  • Steven [1990-1994]
  • Telmo [1990-2011]
  • Thomas [1990-2008]
  • Tony [1990]
  • Válter [1990; 1991; 1997]
  • Victor [1990-2001; 2003-2012]

Alguns nomes deste lote não são permitidos cá e tudo leva a crer que foram usados por pais recém regressados a Portugal.


Nota: À frente de cada nome está o período durante o qual estiveram no top 100


Nomes portugueses
Top 100 masculino - desde quando?

10.9.14


Tal como pudemos constatar há uns dias relativamente aos nomes femininos, não há margem para dúvida: a maioria dos nomes populares masculinos de hoje já o são há mais de vinte anos. Para ser mais concreta, do top 100 atual, há 68 nomes que já estavam no top de 1990 e que não saíram até hoje [exceptuando os nomes seguidos de asterisco]. Ei-los: 



Do atual top 15, cujos nomes foram alvo de mais de mil registos em 2013, os únicos nomes que não eram populares em 1990 são MartimSantiago, o que demonstra bem a estabilidade que reina nos nomes masculinos. Há alterações nos níveis de popularidade, mas os nomes continuam a usar-se de forma intensa.

Contudo, houve nomes que estavam no top 100 em 1990 e que também estão em 2013 mas que, em determinada altura, se ausentaram. Falamos de Mauro, que saiu do top 100 em 2007, regressando imediatamente no ano a seguir, Álvaro, que esteve no top 100 entre 1990 e 1998, em 2000, 2004 2010, 2011, e 2013 e ainda César, que saiu do top 100 em 2008, regressando imediatamente no ano a seguir. 

E agora, vejamos os nomes que entraram para a lista dos cem mais populares durante a década de 90. Por baixo de cada nome, está a posição na qual ficaram em cada ano [e note-se que há anos que não estão mencionados porque não houve novas entradas]: 



Como podemos verificar, estes nomes gozam hoje de grande popularidade, como é o caso de Gustavo, Leonardo, Martim, Dinis e Lourenço. Curiosamente, Gustavo já tinha estado no top 100 em 1990, mas só estabilizou dois anos depois.
E reparemos em Leonardo, que em 1992 estava na 107.ª posição e no ano seguinte foi directamente para a 54.ª posição! Tentei perceber o que poderia ter contribuído para este fenómeno e deparei-me com duas referências que parecem fazer sentido: por um lado, Leonardo era o nome de um dos personagens centrais de Pedra sobre Pedra, novela brasileira que fez sucesso em Portugal em 1992 e, por outro, o nome estava em alta graças à dupla de cantores Leandro & Leonardo e ao seu hit "Temporal de amor". 

Note-se ainda que Bryan esteve no top 100 entre 1996 e 2000 mas saiu, regressando em 2002, 2004, 2005 e  2013. A mesma inconstância é visível em Alex, que esteve no top 100 em 1992, 1995 e 1996. Depois esteve entre 1998 e 2010, e em 2012 e 2013. 

Avancemos na cronologia:



No período compreendido entre 2001 e 2008, chegaram ao top 100 mais nomes que alcançaram bastante sucesso, nomeadamente Santiago, Salvador, Diego e Vicente, que estão presentes hoje em dia no top 30. Ressalve-se que Sebastião esteve  no top 100 em 2001, mas apenas consolidou o estatuto de top 100  a partir de 2003.
Depois de conhecermos as entradas da década de 90, a maioria destes encaixa na busca de nomes antigos portugueses mas Lisandro parece "destoar". Neste caso, creio que será obrigatória a referência ao futebolista Lisandro Lopez, que jogou no F.C. Porto entre 2005 e 2009, e que teve a sua época áurea em 2007/2008.

E, finalmente, debrucemo-nos sobre as entradas mais recentes, que revelam que a tendência pela procura de nomes antigos parece estar a desvanecer-se. Será que isto significa que se esgotaram os nomes mais tradicionais que poderiam constituir alternativas viáveis aos antigos que estão no top 10?



Curiosamente, três destas entradas são de habituées do top 100: 
Gil esteve em 1990, 1991, 1993, 1994, 1998, 2005, 2006, 2008; William esteve no top 100 em 1998, 2000, 2001 e 2005 e Wilson esteve entre 1990 e 2001; em 2004, 2007 e regressou em 2010, estabilizando até hoje. 


[Análise elaborada com base em dados fornecidos pelo IRN]


Nomes femininos que deixaram de ser populares
em Portugal nos últimos anos

9.9.14


Já vimos que, entre 1990 e 2013, não houve grandes alterações no que respeita aos nomes que têm integrado o top 100 mas a verdade é que, ao longo dos anos, alguns nomes acabaram por perder popularidade e deixaram de estar presentes na lista de nomes mais usados em Portugal, tais como:


  • Carina [1990-2010]
  • Carla [1990-2010]
  • Cassandra [1997; 1998]
  • Cátia [1990-2010]
  • Célia [1990-1993]
  • Cindy [1990-1998]
  • Cíntia [2001; 2003]
  • Cristina [1990-2007; 2009; 2010]
  • Denise [1990; 1992]
  • Doriana [2011]
  • Eliana [1990; 1993-1995; 2000-2002; 2004; 2006-2010]
  • Elisa [1990; 1991; 1997; 2003]
  • Elisabete [1990-1997]
  • Elodie [1990-1996]
  • Elsa [1990-1995; 1997]
  • Fátima [1990-2007]
  • Fernanda [1990]
  • Flávia [1990-2005]
  • Isa [1993; 1994]
  • Jennifer [1990-1994]
  • Leila [1990]
  • Liliana [1990-2012]
  • Lisandra [1995]
  • Magda [1990; 1992-1995]
  • Márcia [1990-2010]
  • Marina [1990-2008; 2010]
  • Marisa [1990-2008; 2010]
  • Marlene [1990-2000]
  • Micaela [1990-2009]
  • Mónica [1990-2011]
  • Natacha [1991; 1994; 1997; 2000; 2007; 2009]
  • Neuza [1990-1992; 1996; 1998-2000]
  • Paula [1990-2005; 2008; 2009]
  • Rosa [1990-1996; 1999; 2001]
  • Rute  [1990-2007]
  • Sabrina [1990-1994; 1996; 1997; 2000-2007]
  • Safira [2012]
  • Sandra [1990-2005]
  • Sandrina [1990]
  • Sarah [1999-2010]
  • Sílvia [1990-2001; 2003-2005]
  • Solange [1990-1996]
  • Sónia [1990-2003; 2006]
  • Stéphanie [1990-1995]
  • Susana [1990-2010]
  • Tânia [1990-2009]
  • Telma [1990-2003; 2008]
  • Vanessa [1990-2009; 2011]
  • Vânia [1990-2005]
  • Verónica [1990-2007; 2009; 2011]
  • Viviana [1998-2000; 2002]
  • Viviane [2011]
  • Weng [1997-1999]


Não imaginava de todo que fosse encontrar Elisa neste lote e surpreende-me que em 2003 tenham sido registadas 74 meninas com este nome! Elisa tem surgido associado a ao reaparecimento de Amélia, mas a verdade é que, afinal, está num percurso descendente e não ascendente, como cheguei a ponderar! 

Nomes portugueses
Top 100 feminino - desde quando?

8.9.14


Não tenhamos dúvidas: os nomes populares em Portugal são mesmo muito populares. Os registos anuais podem não ser avassaladores, mas se pensarmos que uma boa parte destes nomes já estão no top 100 consecutivamente desde 1990, percebemos que a quantidade de pessoas com menos de 20 anos que os partilham é verdadeiramente impressionante. Estão então no ranking desde 1990 os seguintes nomes:



Alguns destes nomes não chocam, porque sabíamos de antemão que até já eram populares na década de 80, mas outros são surpreendentes. E a partir daqui podemos desmistificar a ideia de que Beatriz alcançou o topo do ranking vinda "do nada", uma vez que em 1990 ocupava a 86.ª posição, mas a verdade é que a subida foi repentina, já que em 1996 já estava no top 10. 
Agora vamos perceber em que momento é que os restantes nomes entraram para o grupo dos mais populares, olhando cronologicamente para as novas entradas desde 1991. Por baixo de cada nome, está a posição que foram ocupar no ranking:




Como é possível constatar, Leonor e Matilde entraram para o top 100 ainda no decorrer da década de 90, ocupando inicialmente posições algo modestas e só viriam a alcançar o top 10 em 2006 e 2005, respetivamente. Comprova-se, uma vez mais, que a popularidade não foi instantânea como poderia parecer.
Destaque-se ainda Jéssica, que entrou para a 46.ª posição em 1992, no ano da exibição na RTP da novela brasileira "Meu bem Meu mal", em que a atriz Mylla Christie dava vida a uma jovem chamada Jéssica; E o fenómeno repetir-se-ia com Eduarda, que estava na 105.º posição em 1997; no ano seguinte, ocupava a 54.ª posição do ranking, um ano depois da exibição da novela Por Amor, onde uma das protagonistas se chamava Maria Eduarda. 
O caso de Kelly também é curioso: entre 91 e 99 esteve no top 100, de onde saiu até 2004, tendo regressado em 2010, mantendo-se no top 100 até hoje. O mesmo se passou com Mélanie: esteve no top 100 entre 1990 e 2000, mas saiu em 2001, regressando ininterruptamente desde 2007. Kelly e Mélanie, tal como Nicole, eram nomes frequentes entre as filhas de emigrantes portugueses entretanto regressados ao país; Lúcia também saiu e regressou: esteve firme no top 100 entre 90 e 2004 e, desde então, tem entrado e saído, sempre com grandes oscilações. 
Observe-se ainda que Eva está no top 100 desde, pelo menos, 1990, mas em 1994 saiu, regressando no ano seguinte e onde permanece consecutivamente desde então; Bianca também está no top 100 desde 1993, mas saiu em 1999, regressando no ano seguinte; Miriam esteve no top 100 em 1991 e 94 mas só se tornou membro consecutivo do ranking a partir de 1999 e finalmente Iara esteve no top 100 em 1996. 




Camila entrou no top 100 directamente para a 52.ª posição em 2001, um ano depois da exibição da novela brasileira "Laços de Família", em que a protagonista se chamava precisamente Camila; no mesmo ano, entra no ranking Vitória, nome escolhido na novela para a bebé que nasceu para salvar Camila. 
Atenção também para Luciana, que esteve no top 100 em 2004, na 92.ª posição, tendo saído no ano seguinte. Em 2006 regressou directamente para a 76.ª posição, no ano de exibição de Floribella, protagonizada por Luciana Abreu. 
Letícia esteve no top 100 em 1991, mas só a partir de 2002 é que a sua posição no ranking se tornou permanente e  Núria esteve no top 100 em 2002, mas só estabilizou dois anos depois. 
Alícia esteve top 100 em 1998, gravitando em torno da centésima posição por dez anos mas só em 2008 é que consolidou a posição no top 100 até aos dias de hoje.




Este grupinho corresponde às entradas mais recentes e, como tal, poderá ser considerado o menos estável, já que alguns deles poderão sair do top 100 já em 2014. Por exemplo, Larissa e Nair já tinham estado no top 100 dois anos antes; em 2010 e Petra esteve na 90.º posição em 2010. 


Acho que ficou bem demonstrada a estabilidade dos nomes em termos de permanência no top 100 e a baixa quantidade de novos nomes que surgem a cada ano. 
Resta-me esclarecer que me baseei em dados oficiais fornecidos pelo Instituto dos Registos e Notariados e que há anos que estão ausentes da coluna por ausência de registos de entradas novas. 

Filhos dos famosos - Rose Dorothy

6.9.14

 
A atriz Scarlett Johanson foi mãe de uma menina e o nome escolhido foi o absolutamente adorável Rose Dorothy. E agora, mãe e filha têm um nome colorido! Eu adoro o nome Doroteia, mas reconheço que não é muito usável nos dias de hoje em Portugal!
 
A atriz Alyssa Milano também foi novamente mãe, agora de uma menina cujo nome é Elizabella Dylan e que vem fazer companhia ao irmão Milo Thomas.

Nomes compostos femininos
mais registados em 2013 - outra análise

3.9.14


A questão dos nomes compostos tem-se debatido intensamente no grupo do Facebook e como andei a rever o Dossier do Ranking de 2013, notei a ausência de referências à frequência com que os nomes mais populares de 2013 são usados como primeiro de um nome composto. 
A tabela que se segue mostra o top 30 feminino de 2013; a coluna A corresponde ao número de vezes que cada um deles foi registado como primeiro, ou como único nome e a coluna B indica o número de vezes que aquele nome foi registado na primeira posição de um nome composto:

Nome A B Composto mais popular
Maria  4638 3612 Maria Inês
Matilde  1997 394 Matilde Sofia
Leonor  1886 364 Leonor Sofia
Mariana  1598 389 Mariana Sofia
Carolina  1487 323 Carolina Sofia
Beatriz  1420 402 Beatriz Maria
Ana  1317 1266 Ana Carolina
Inês  1157 305 Inês Sofia
Lara  1129 618 Lara Sofia
Margarida  951 173 Margarida Sofia
Sofia  865 192 Sofia Alexandra
Joana  788 324 Joana Filipa
Francisca  661 96 Francisca Maria
Laura  630 189 Laura Sofia
Madalena  593 87 Madalena Sofia
Luana  580 314 Luana Filipa
Diana  532 231 Diana Sofia
Mafalda  530 104 Mafalda Sofia
Rita  522 126 Rita Sofia
Sara  494 213 Sara Maria
Bianca  439 202 Bianca Sofia
Alice  429 76 Alice Maria
Eva  401 120 Eva Maria
Clara  395 122 Clara Sofia
Constança  374 91 Constança Maria
Íris  367 141 Íris Sofia
Letícia  360 154 Letícia Maria
Mara  354 167 Mara Sofia
Catarina  347 83 Catarina Sofia
Gabriela  314 69 Gabriela Maria

Assim, é possível concluir que 96% das Anas têm um segundo nome e o mesmo se passa com 77% das Marias e 54% das Luanas e das Laras. Sabemos também que mais de 40% das Maras, Biancas, Dianas, Saras, Letícias e Joanas também têm um segundo nome. Sem surpresas, Sofia é o segundo nome mais escolhido na grande parte destes casos. 

Óscar

29.8.14



Diz-se que Óscar significa "o admirador de veados", mas há também quem defenda que se trata de "lança de Deus". É um nome conhecido internacionalmente, graças aos prémios do cinema e na minha opinião poderia beneficiar da popularidade de nomes como Simão, Jaime e Tomé, já que me parecem do mesmo estilo, com a vantagem de que Óscar até é mais reconhecível noutras línguas. Os nove registos de 2013 não comprometem, e se está à procura de um nome normal, mas pouco frequente entre os bebés de hoje, Óscar parece-me um candidato interessante!

[texto publicado originalmente em Junho de 2011]

Dicas para escolher o nome do bebé
#2

27.8.14


#Perceba em que medida é que a opinião de terceiros é importante para si

Não deve haver nada mais desagradável do que escolher com todo o carinho o nome do bebé que está a caminho, partilhá-lo com quem se gosta e ouvir em retorno um rol de críticas. Especialmente quando a percepção negativa se baseia apenas no gosto pessoal ou em associação a determinadas palavras. A verdade é que toda a gente tem uma opinião a respeito dos nomes e nem sempre a partilham da forma mais delicada. Se é permeável à crítica, pondere a possibilidade de não partilhar o nome até que este esteja plenamente definindo, caso contrário, poderá encher-se de dúvidas. 

Gustavo

25.8.14


A lista de vinte nomes masculinos mais registados em Portugal em 2013 está cheia de nomes bonitos mas, se estivesse grávida neste momento, apenas ponderaria usar quatro* deles e Gustavo estaria obrigatoriamente nessa short-list. Quem já vai conhecendo os meus gostos sabe que a popularidade é um factor que me desmotiva e Gustavo até perde em duas frentes: por um lado, é um nome popular neste momento [17.º, com 824 registos] e tem vindo a fazer um percurso ascendente deste 2011; por outro, nunca foi muito usado noutras décadas, o que significa que, para já, é mesmo um nome apenas desta geração em Portugal. Ainda assim, acho-o fabuloso! No Brasil também está em alta, ocupando a 12.ª posição do ranking das grafias combinadas no Estado de S. Paulo.  
Existem muitas dúvidas em relação à sua origem, que contudo, deverá ser germânica ou eslava. A dúvida reflecte-se no seu significado, mas este poderá ser "ceptro do rei". E por falar em rei, estamos na presença de um nome tradicional da monarquia sueca [o atual rei chama-se Carl Gustaf. Ouço muitos comentários no sentido de que as formas latinas dos nomes acabam por "estragá-los" mas, neste caso, acho que Gustavo é bem mais interessante do que Gustaf ou Gustav!]  e por lá o nome continua a usar-se bastante, tendo sido o 23.º nome mais registado em 2013. Na minha opinião, é um nome discreto e elegante, inserindo-se na perfeição entre Gonçalo e Guilherme! 


*Alguém quer arriscar um palpite nos outros eleitos?

Cecília

22.8.14


É certo e sabido: sempre que há um debate sobre a importância dos significados, [e falamos disso muito recentemente no grupo do Facebook] aparece alguém que cita o exemplo de Cecília como um nome bonito mas cujo significado - "cega" -  pode inviabilizar o seu uso. Honestamente, não é o adjectivo mais poético que podemos encontrar mas, para mim, isso só seria problemático se fosse literal. Como não é o caso, só me vejo na presença de um nome delicado, muito feminino e que se está a tornar contemporâneo.
Cecília é um nome com tradição entre os portugueses mas, com a revolução dos anos 80 e 90 foi caindo em desuso. Hoje, no entanto, com a popularidade de nomes como Alice, Camila, Laura, Matilde e Amélia, tem tudo para poder regressar com sucesso, mas em 2013 ainda se ficou pelos dezoito registos. 
No Brasil também não anda pelo topo do ranking, mas no Estado de S. Paulo foram registadas mais de 600 meninas com este nome em 2013, o que equivale à 63.ª posição do ranking de grafias combinadas.  


Filhos dos famosos
Ophelia & London Rose

21.8.14

Dave Grohl

O vocalista dos Foo Fighters e ex-baterista dos Nirvana, Dave Grohl, foi novamente pai de uma menina e o nome escolhido, ao que tudo indica, é Ophelia. A menina junta-se assim às irmãs Violet Maye e Harper Willow. Um tipo que canta a Walking After You só podia escolher nomes fofos para as filhotas... 
Para muita gente, Ofélia é apenas nome de personagem de Shakespeare, mas eu conheço uma Ofélia desde que nasci e, por isso, este nome de origem grega e que significa "ajuda", é-me perfeitamente familiar. Não está na minha lista de nomes preferidos, mas não me choca nada.

O apresentador Carson Daly também foi pai de uma menina chamada London Rose [o segundo nome foi escolhido em homenagem à avó de Daly], que vem fazer companhia ao irmão Jackson James e à irmã Etta Jones. 

Dicas para escolher o nome do bebé
#1

19.8.14


#Descubra quais são os nomes mais populares no seu país


Diz-me a experiência que muitos pais desconhecem inteiramente o grau de popularidade do nome que escolheram, só se apercebendo da mesma mais tarde, quando começam a contactar com outros bebés. 
Não há mal nenhum em escolher um nome popular, mas é sempre bom estar plenamente consciente da escolha que se está a fazer. E quem sabe se, num momento de indecisão entre dois nomes, a popularidade não pode ser o factor decisivo.

Links fundamentais: