Maria da Graça

9.3.17


Nos últimos anos, assistimos à popularização de Carminho e, talvez por isso, começamos a ouvir falar mais de Maria do Carmo. Em 2013, foram registadas 84 e, em 2014, foi o composto escolhido para 67 meninas portuguesas. Não tenho outros dados que me permitam aferir a evolução do seu uso mas sei que é um clássico, que talvez tenha perdido alguma força na década de 80 e 90, mas nunca deixou de se usar. Maria do Carmo não me encanta, admito. Por comparação, simpatizo bem mais com Maria da Graça, que é menos usado [11 registos em 2013, apenas 8 em 2014]. E simpatizo, sobretudo porque, isoladamente, gosto muito de Graça, um nome virtuoso  que me parece mais vibrante e inspirador do que Carmo. E se Carminho é um amor, Gracinha não lhe fica atrás, pois não? 

8 comentários :

  1. Sinceramente não acho grande piada nem a Maria do Carmo nem a Maria da Graça. Acho muito mais piada a Carminho (apesar daquela velha história de que em adulta vai ter sempre nome de "criança") e a Graça.
    Contudo não vejo Graça ou Maria da Graça a terem a mesma popularidade dos outros dois...e por um lado ainda bem.

    ResponderEliminar
  2. Não sou fã dessas "parolices" de Carminho, Gracinha, Aurorinha, Rosarinho, Teresinha e afins, acho que isso é infantilizar o nome e se não gosto como diminutivo como nome efetivamente registado acho que nem vale a pena escrever nada...
    Entre Maria do Carmo e Maria da Graça prefiro o segundo, simplesmente porque gosto mais de Graça do que de Carmo, no entanto, jamais seriam escolhas minhas.

    ResponderEliminar
  3. As únicas Maria do Carmo e Maria da Graça que eu conheço são da minha idade (nascidas portanto no final da década de 90) e eram exclusivamente chamadas de Carminho e Gracinha (até mesmo pelos professores!)
    Pessoalmente, Maria do Carmo e Maria da Graça não são nomes de que goste. Simpatizo com Carmo talvez por ter uma terminação diferente à que estamos habituados nos nomes femininos (-a).

    ResponderEliminar
  4. Maria do Carmo e Maria da Graça não me atraem muito, aliás, prefiro Graça e Carmo - principalmente Carmo. Acho o diminutivo Carminho "um mimo" mas como alcunha. Ou seja, prefiro o registo Carmo e dependendo da vontade de cada um, a opção de tratamento Carminho na infância, entre familiares, amigos...

    ResponderEliminar
  5. Eu sou uma Maria da Graça de 1990. Hoje em dia gosto muito do meu nome, no entanto, durante a infância foi complicado viver com ele porque para mim e para os colegas de escola era nome de "velha". Na altura não entendia onde é que a minha mãe tinha ido desencantar um nome tão antiquado e cheguei mesmo a sentir alguma revolta. Agora vejo que foi uma visionária, só tive de esperar até aos 20 para ter um nome da moda, Maria.

    Entre Carmo e Graça, fico dividida, de Graça gosto imenso pela conotação, de Carmo pela terminação. Tal como a Filipa, gostaria muito de ver aparecer mais Graças.

    ResponderEliminar
  6. Gosto bastante de ambos =) Diria até igualmente, apesar de um me parecer mais “trendy” e o outro mais “fresco” dada a sua raridade entre as camadas mais jovens... Para mim, pode muito bem apanhar boleia de Benedita, Pilar e das outras “meninas virtuosas” que andam na moda =)

    ResponderEliminar
  7. Tenho uma tia que chamada Maria da Graça. Quando estamos em família a chamamos de "Gracinha".

    ResponderEliminar
  8. Adoro Graça! Não sei se será um concorrente à altura quando tiver uma filha, mas tem o meu carinho neste momento e há muitos anos. O composto Maria da graça já acho muito pesado, como Maria do Céu, mas amo Céu de paixão, mesmo!

    ResponderEliminar

Com tantos nomes à escolha, vai mesmo ser apenas Anónimo? :)